Notícias

Maioria dos municípios gaúchos não retornará com atividades presenciais em 2020

A Undime/RS realizou ao longo do mês de outubro uma pesquisa com os municípios gaúchos acerca da retomada das atividades presenciais, após o Governo do Estado estabelecer um calendário de retorno das atividades escolares, iniciando pela Educação Infantil.

O Conselho dos Secretários Municipais de Educação (Conseme), que reúne os coordenadores titulares e suplentes das 27 regionais gaúchas, já havia deliberado em reunião ordinária, seu posicionamento contrário ao retorno das atividades presenciais.

Na pesquisa realizada, 450 dos 497 municípios gaúchos participaram, o que representa mais de 90% do total de participação dos dirigentes municipais de educação gaúchos. A pesquisa foi encerrada nesta quarta-feira, 28 de outubro.

Com relação à postura adotada por cada uma das 27 regionais, após reunirem Prefeitos(as) e Dirigentes Municipais de Educação, 50% informaram que a regional posicionou-se contrário ao retorno das atividades presenciais, enquanto que 37% apontou que cada município ficou livre para tomada de decisão, sendo que somente 3% é favorável ao calendário proposto pelo Estado e os demais pelo retorno das redes privada e estadual.

Sobre o Retorno das atividades da Educação Infantil, que o Estado propôs que fosse a primeira etapa a retornar presencialmente,  mais de 80% dos municípios informaram que não retornarão com as atividades presenciais, 37 municípios tendem a retornar com as crianças de 4 e 5 anos e 31 com toda a Educação Infantil.

Com relação aos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, 77% dos municípios informaram que não retornarão de forma presencial em 2020 e apenas 64 municípios apontaram que retornariam seguindo o calendário proposto pelo Estado.

Já nos Anos Finais do Ensino Fundamental, 70% dos municípios não pretendem retornar presencialmente em 2020, sendo que apenas 60 municípios pretendem ofertar atividades presenciais.

Com relação à oferta do transporte escolar, mais de 60% dos municípios informaram que não ofertarão, já que os decretos municipais não permitirão atividades presenciais em nenhuma escola do território local, incluindo as redes estadual e privada.

De forma unânime, os dirigentes municipais de educação informaram que o ano letivo dos municípios tem previsão de encerramento até o final de 2020, mesmo para aqueles que continuarão a oferta de forma não-presencial.

Por fim, cerca de 70% dos municípios já adquiriram ou estão em fase de compras dos equipamentos de proteção individual (EPIs) para as suas escolas, sendo que 12% está em processo de pesquisa de preços e apenas 8% que ainda não iniciaram este processo de compra.

De acordo com o Presidente da Undime/RS e Dirigente Municipal de Educação de Estrela, Marcelo Augusto Mallmann, a pesquisa demonstra a opinião já emitida pela instituição, a partir da consulta aos gestores educacionais, para o não retorno das atividades presenciais enquanto não houver condições sanitárias que assegurem segurança a todos na escola. Ainda, ele lembra que cerca de 30% dos servidores são do grupo de risco e os municípios estão vetados de contratação de pessoal em função do período eleitoral, bem como do aumento de despesas já que os atuais gestores encerram seus mandatos no dia 31 de dezembro. “Teremos um custo extra na contratação de transporte escolar, já que o Distanciamento Controlado permite somente 50% da capacidade”, alerta o dirigente.

Marcelo pontua, ainda, que a Undime/RS respeita a posição dos municípios que optarem por retornar às atividades presenciais, que representam um número muito pequeno. “Assim como a Famurs, nosso entendimento enquanto instituição que representa os 497 Dirigentes Municipais de Educação, é que ainda não temos as condições necessárias para garantir o retorno com segurança”, finaliza.

 

Fonte: UNDIME/RS

Compartilhe esta notícia