Notícias

Gaepe-Brasil recomenda a antecipação da 2ª dose da vacina para profissionais da educação

Grupo baseia seu posicionamento na possibilidade de intervalo menor entre as doses, indicada pelas bulas, na efetividade mantida inclusive contra a variante delta e na urgência da retomada das aulas presenciais



O Gabinete de Articulação para Enfrentamento da Pandemia na Educação (Gaepe-Brasil) publicou na quinta-feira (2 de setembro), manifestação em favor da antecipação da segunda dose das vacinas Oxford/AstraZeneca e Pfizer/BioNTech para os professores e demais profissionais da Educação.


Coordenado pelo Instituto Articule e operacionalizado com apoio do Comitê Técnico da Educação do Instituto Rui Barbosa (CTE-IRB) e a Associação dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon), o Gaepe Brasil reúne membros de instituições que têm atuação relevante na política pública educacional, como o Conselho Nacional de Educação (CNE), a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), as Comissões da Educação da Câmara dos Deputado e do Senado Federal, o Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais e Distrital de Educação (Foncede), a União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação (Uncme), o Conselho Nacional de Presidentes do Tribunais de Contas (CNPTC), além especialistas na área e de integrantes do Judiciário, Ministério Público e Defensoria Pública.


O documento afirma que embora a imunização completa de educadores e equipe escolar não seja entendida como condição para o retorno presencial às escolas, uma vez que o ambiente escolar é mais seguro do que outros cujas atividades foram retomadas há mais tempo, é certo que a imunização plena desses profissionais contra a covid-19 em muito contribuirá para o êxito desse retorno.


O posicionamento se baseia nos critérios definidos pelas próprias farmacêuticas responsáveis pelas vacinas, que indicam a efetividade da imunização mesmo com doses menores do que as recomendadas no Plano Nacional de Imunização.


O grupo destaca ainda que, considerando a circulação da variante Delta, com maior potencial de transmissibilidade, e a efetividade de duas doses completas das vacinas aplicadas no Brasil na proteção contra essa variante, torna-se oportuna e conveniente a antecipação das doses de vacinas a toda população, priorizando os professores e demais trabalhadores da educação. E conclui:


“Deste modo, visando a contribuir para a mais célere e segura retomada das aulas presenciais, o Gaepe-Brasil manifesta-se pela importância de, ouvidas previamente as autoridades sanitárias, que definirão os intervalos mínimos a serem observados, proceder-se à antecipação da aplicação da segunda dose dos imunizantes da Oxford/AstraZeneca e da Pfizer/BioNTech para os professores e demais profissionais da educação.”


Clique e acesse o documento na íntegra


Sobre o Gaepe


Gaepe – Gabinete de Articulação para Enfrentamento da Pandemia da Educação é uma iniciativa idealizada e coordenada pelo Instituto Articule em cooperação com a Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) e o Comitê Técnico da Educação do Instituto Rui Barbosa (CTE-IRB). Além da iniciativa Gaepe-Brasil, em âmbito nacional, os estados de Roraima, Goiás e Mato Grosso do Sul, contam com Gaepes estaduais e o município de Mogi das Cruzes conta com a primeira iniciativa em âmbito municipal.



Fonte: Gaepe
https://gaepebrasil.com.br/2021/09/03/gaepe-brasil-recomenda-a-antecipacao-da-2a-dose-da-vacina-para-profissionais-da-educacao/

Compartilhe esta notícia